2010-12-09

Conclusão da Blockbuster (aparentemente…)

Blockbuster Enfim uma resposta aparentemente final ontem, dia 08 de dezembro, às 17:13.

Uma terceira atendente me respondeu o email marcando a devolução dos DVDs:

Prezado Rodrigo,


Agradecemos seu contato e informamos que seu pedido de coleta foi agendado para o dia 9/12, conforme sua solicitação.

Estamos à disposição caso haja alguma dúvida.
Atenciosamente,

S. R.
Blockbuster Online
Serviço de Atendimento ao Cliente


Hoje à tarde o entregador apareceu para pegar os DVDs. Muito bom! Gostei da atitude da Blockbuster.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-12-08

Ephrat

Incríveis as obras do canadense Devin Towsend e da banda polonesa Indukti, sem falar do extremamente técnico Zack Kim e do progressivo poderoso do Porcupine Tree.

Sem dever nada a nenhum deles, chegou a hora de falar da banda israelense Ephrat.

Com um algumas amálgamas, Ephrat abusa das dissonâncias e do maqāmāt, desde o mais helénico maqām (como rast) ao mais exótico (como hijaz kar).



Para saber mais: MySpace.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

Por planejamento do espaço e transporte público de qualidade

congestionamento

Li hoje o texto incrível da Cris P. Rodrigues intitulado Por planejamento do espaço e transporte público de qualidade.

Em si, o texto não traz nenhuma novidade, são fatos que todos deveríamos estar a par. Porém não estamos…

Seu artigo expõe de modo claro e com precisão cirúrgica problemas urbanos e, como quem quer faz, também soluções simples e, o mais importante, factíveis, carecendo apenas de vontade política.

Reproduzo aqui então seu artigo e recomendo fortemente a todos acompanhar seu blog (e ler o artigo lá!):

Carro e casa. Sonhos de todo brasileiro. Muito justo.

Funciona assim: se Fulano Gerdau tem carro, é direito do Fulano da Silva ter também. Isso se chama igualdade. É preciso fornecer igualdade de oportunidades para que se consolide a igualdade de direitos que a Constituição prevê.

Sim sim, se todos tiverem carro as ruas serão intransitáveis. Se mais prédios forem erguidos, o ar da cidade ficará irrespirável. Problemas de trânsito, saúde, meio ambiente, estilo de vida, desenvolvimento… Mas como pode o cidadão, de dentro do seu Tucson, reclamar que agora qualquer um compra um 1.0? Sacanagem, no mínimo.

E convenhamos, é natural que todos queiram ter um carro e sua casa própria, arrumadinha, novinha. O carro é status, mas antes de tudo é conforto. Ele te leva para todos os lugares mal mexendo a perna, conversando, ouvindo música e protegido das intempéries do lado de fora do vidro. Então, como querer que alguém não o queira?

Simples. Ou melhor, a solução é fácil de encontrar, mas bem complicada de executar. Principalmente quando falta boa vontade. Investindo em transporte público de qualidade, mas de qualidade mesmo, com conforto, frequência, uma ampla rede que chegue a todos os pontos da cidade sem precisar ficar esperando três ônibus para isso. Não importa se ônibus, metrô subterrâneo ou de superfície, barco, aeromóvel… O importante é funcionar com eficiência e a um preço baixo.

Assim, o cara vai pensar 50 vezes antes de tirar o carro da garagem. Sabe que vai ficar parado no trânsito, não vai achar lugar para estacionar – principalmente se trabalhar no centro – ou pagar uma fortuna de estacionamento, vai se incomodar com o fulano do carro do lado que dirige mal. Se ele tiver certeza que se pegar o metrô chega tranquilo pertinho do trabalho, sem todo esse fuzuê, e ainda vai poder ir lendo, talvez opte por essa alternativa. Eu optaria.

Resumindo, o transporte público tem que ser bom o suficiente para as pessoas não quererem ter carro. Para quem acha que esse é um sonho impossível, vi acontecer em Madri.

Com casa a coisa é um pouco diferente, mas não de todo. Na verdade, ambas as situações pedem um replanejamento do espaço, mas na questão da moradia ele se mostra ainda mais fundamental. Vislumbro de imediato dois fatores.

Em primeiro lugar, a contraposição interior-capital. Valorizar a vida em cidades menores ou, principalmente, incentiver a agricultura familiar. Cerca de 30% das propriedades não têm sucessor, porque dedicar a vida à agricultura exige um sacrifício grande diante de oportunidades aparentemente mais atrativas nas cidades. A falta de garantia de renda para o agricultor dificulta a permanência na área rural. Diante de uma intempérie, ele pode perder a renda do semestre, do ano, para a qual se dedicou incansavelmente, sem fim de semana ou feriado. Nesse sentido, é preciso uma política voltada para o trabalho rural, como uma forma de repensar a ocupação do espaço e, de quebra, incrementar a economia.

Por fim, a dicotomia centro-periferia ou centro-bairro. As grandes cidades possuem bairros muito distantes do centro, com uma quantidade enorme de moradores, em alguns casos. Esses bairros tornam-se quase que mini-cidades dentro da metrópole. As pessoas que vivem neles precisam de serviços como qualquer cidadão de qualquer região. Não tem cabimento que tenham que se deslocar até o centro para ter acesso a posto de saúde, escola de todos os níveis, restaurantes, lojas, cinemas, bibliotecas… E tudo isso demanda mão-de-obra, que pode ser conseguida no próprio bairro. Diminuir esse deslocamento através de um replanejamento urbano aumenta a qualidade de vida, pois é menos tempo perdido e maior integração comunitária, com mais emprego e renda.


[]’s
Cacilhας, La Batalema

PS: Obrigado, Cris, por ter autorizado a reprodução!

Resposta da Blockbuster

Blockbuster
Continuando a saga Blockbuster, finalmente no sábado, dia 04 de dezembro, recebi uma resposta:

Prezado Rodrigo,



Informamos que seu pedido de cancelamento já foi enviado ao setor responsável. Lembramos também que seu plano estará vigente até 27/01/2011, e que seus pedidos podem ser realizados normalmente. Após essa data, sua assinatura estará cancelada, e não serão lançadas cobranças.

Informamos que o recolhimento dos DVD's finais será agendado para o dia 01/02/2011, e poderá ocorrer até às 21 horas.

Estamos à disposição caso haja alguma dúvida,

Atenciosamente,

F. G.
Blockbuster Online
Serviço de Atendimento ao Cliente


O que é, por um lado, um bom sinal, já que resolveram cancelar meu cadastro dentro do tempo útil, porém ruim, já que estende o período antes do cancelamento, obrigando-me a ficar de posse dos DVDs por um período que não me interessa, impede outras pessoas de aproveitá-los e ainda inventaram um horário totalmente louco (até 21 hora?!) para o recolhimento.

Respondi então:
Cara F.,

Muito obrigo pelo cancelamento. Gostaria apenas de informar que gostaria que não tenho interesse em fazer novos pedidos em função do próprio motivo do cancelamento e peço que os DVDs que estão em minha posse sejam recolhidos ainda esta semana, em dia útil e horário comercial.

[]’s
Cacilhας, La Batalema


Ainda sem contrarresposta.

Vejamos no que isso vai dar.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-12-02

Devin Townsend

Depois de ter falado do extremamente técnico Zack Kim, do progressivíssimo Porcupine Tree e do ultradissonante folk polonês do Indukti, é a hora de falar do canadense Devin Townsend.

Vocalista, guitarrista e tecladista da banda de metal extremo S.Y.L., Devin mantém em paralelo um trabalho de metal progressivo.

Procurei no YouTube pela música Triumph, do álbum Synchestra, mas não encontrei um vídeo, só a música. Então fica o vídeo de Vampira:



E outra sugestão é a música Deadhead.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-11-29

Contenda com a Blockbuster

Blockbuster Ganhei uma promoção da Blockbuster de 90 dias por R$3,00 (já pagos) para experiência, vencendo dia 16 de fevereiro de 2011.

Comecei a usar o plano – reiterando, em caráter experimental – e logo de cara já tive um problema: meu endereço de contato com a Blockbuster é o escritório de trabalho e o entregador não tem tempo para ficar subindo até meu andar. Também não é possível deixar os DVDs na portaria do prédio em função da grande movimentação de pessoas (prédio comercial).

Escrevi então um pedido à Blockbuster no dia 25 de novembro, quinta-feira:

Enviado: quinta-feira, 25 de novembro de 2010 10:15
Para: Aluguel Blockbuster
Assunto: FALE COM A BLOCK: ENTREGA

Nome: Rodrigo Maia Cacilhas
Email: rodrigo@cacilhas.info
Estado: RJ
Cidade: Rio de Janeiro
Assunto: ENTREGA
Mensagem: Bom dia

Não é possível deixar/pegar os DVDs na portaria do prédio pois é um prédio comercial c/muita movimentação de pessoas, mas o entregador D. reclamou q não tem tempo suficiente p/subir o prédio e pegar/deixar os DVDs na recepção da empresa, então é preciso dar a ele + tempo p/subir e fazer a substituição na recepção.

Aguardo resposta

Grato

Rodrigo Cacilhas


Recebi uma resposta da Blockbuster desdenhando minha condição:
Prezado Rodrigo,


Informamos que os entregadores não têm permissão para subir até o apartamento de nossos clientes. Esclarecemos que nossa transportadora estabeleceu essa norma por questões de segurança e a fim de evitar transtornos. Desta forma, pedimos que, se possível for, utilize o seu serviço de portaria para que as entregas sejam efetuadas, ou, se este serviço não estiver disponível, o entregador aguardará a sua chegada à portaria com os DVDs para a troca por até 3 minutos.


Estamos à disposição caso haja alguma dúvida.



Atenciosamente,



T. B.

Blockbuster Online

Serviço de Atendimento ao Cliente


Questão de segurança? Estranha noção de segurança, não?

Minha resposta:
Então, por uma questão de segurança e a fim de evitar transtornos, entendo que a Blockbuster não tem competência para me atender, portanto estou cancelando imediatamente o serviço.

Peço para que seu entregador venha buscar os DVDs aqui no escritório e garanto que será a última vez que ele terá de subir, caso vocês desejem a devolução dos DVDs que estão em minha posse.

E deixo pronto avisado que farei uma reclamação do desdém da Blockbuster no ReclameAQUI.

Muito obrigado e espero mais consideração caso venhamos a contratar o serviço de vocês futuramente.

[]’s
Cacilhας, La Batalema


Portanto estou insatisfeito com o serviço de entrega da Blockbuster e, em função disso, estou cancelando o serviço ANTES do fim da promoção.

Considerando que o motivo do cancelamento é perfeitamente válido (insatisfação), qualquer cobrança da Blockbuster será indevida.

Caso alguém esteja interessado em ler a reclamação no ReclameAQUI, procure por Desdém quanto a situação de entrega.

Observação: no ReclameAQUI, onde está escrito «O que me causou a sensação de estar sendo [editado pelo Reclame Aqui]…» a frase original era: «O que me causou a sensação de estar sendo prejudicado». Segue a reclamação completa:
A Blockbuster afirma não poder entregar e recolher os DVDs no andar onde trabalho por motivos de segurança e a fim de evitar transtornos – motivos bem estranhos – e quer que eu deixe e busque os DVDs na portaria do prédio.

No entanto, por se tratar de um prédio comercial, com alta rotatividade de indivíduos e mudanças constantes de turno na portaria, não seria seguro fazer isso. Além do mais, como é um ambiente de trabalho, obviamente não posso ficar saindo para trocar DVDs.

Assim, devido às condições especiais em que me encontro e à estranha política de segurança da Blockbuster, entendo que a Blockbuster não tem competência para me atender.

O que me causou a sensação de estar sendo [editado pelo Reclame Aqui] (prejudicado) foi, quando enviei um email à Blockbuster explicando minha situação, a resposta simplesmente me desdenhou, colocando-me na situação de ter de me adaptar às limitações e exigências deles, às quais não pretendo me submeter.

Isso me deixou extremamente insatisfeito, não com o serviço em si, mas com o tratamento genérico dado ao cliente.


Este artigo serve então como referência. A Blockbuster ainda não me respondeu – eles dizem responder em até 24 horas, a primeira resposta deles demorou 95 horas e 39 minutos –, mas usarei futuros artigos neste blog para atualizar as informações.

[update 2010-11-30]
Editei o artigo removendo os nomes das pessoas, pois não acho ético divulgá-los.

Ontem coloquei os nomes pois cheguei em casa cansado de uma viagem de ônibus de 4h e apenas copiei os emails, não atentando para o fato.
[/update]


[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-11-28

Canção do Subdesenvolvido

Apesar do Brasil não ser mais um país subdesenvolvido (mesmo que a velha mídia e os direitistas esperneiem), essa música de Carlos Lyra continua perfeitamente atual:



A personalidade do brasileiro (para não dizer mentalidade) continua subdesenvolvida.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

Golpismo

Matéria da Super(des)interessante (Editora Abril):

Se as facções se juntassem, teriam um enorme poder de articular ataques contra as milícias de policiais (…). Assim, no próximo Tropa de Elite os traficantes voltariam para se vingar da Polícia Militar. Seria a maior carnificina do Rio.

(…) O Rio seria então visto de fora (…) como um paraíso hedonista. O turismo bombaria e o tráfico também.

Edição 285, dez/2010, página 60 – grifo meu.


Matéria de capa da IstoÉ (Editora Três):
O RIO É MAIOR QUE O CRIME

Número 2142, ano 34, capa.


Sinto ter jogado dinheiro fora quando assinei a Super, mas muito satisfeito com a IstoÉ.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-11-27

Indukti

Seguindo a sequência de bandas underground, gostaria de falar agora da banda Indukti, uma banda polonesa de folk, mas com peso.

Mais um pessoal que mostra a que veio, com seu som progressivo e seus marcantes fraseados de violino:



Para saber mais: MySpace e Wikipédia.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-11-25

Criminalidade e a mentalidade golpista petropolitana

Heim? Um senhor que se disse carioca, mas que mora há séculos em Silent Hill Tucanópolis, puxou assunto no ônibus hoje:

— Esse negócio de UPP e combate ao crime organizado é só por causa das eleições: quando o Cabral se reeleger a polícia volta atrás e tudo volta a ser como era antes.

— Mas as eleições acabaram e o Cabral se reelegeu.

— Como?! Você vai ver! Quando acabarem as eleições, acaba o combate ao crime organizado.

— Mas já acabaram as eleições!

(Em tom de ironia) Então eu não entendo nada de política!

Percebe-se…

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-11-23

Porcupine Tree

Em meu último post falei do guitarrista coreano Zack Kim. Agora venho falar da magnífica banda britânica de rock progressivo Porcupine Tree.

É um pessoal que come pelas beiradas, como todas as boas bandas de rock da atualidade – sim! Nada de lugar comum como Metallica: falo de gente que faz música porque gosta, não pra ganhar a mídia.

Segue então uma amostra, Blackest Eyes:



Você pode saber mais na Wikipédia ou no MySpace.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-11-19

Zack Kim

Na União Soviética, a guitarra toca VOCÊ (Reversal Russa).
Na Holanda, a guitarra se toca sozinha e não precisa de VOCÊ (Reversal Holandesa).

Já na Coreia, Zack Kim toca duas guitarras e não precisa de VOCÊ!!!



Baixe o álbum Raw like Korean Sushi e acompanhe seu canal no Youtube.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-11-02

Integralismo ainda vivo no Brasil

Olhos Azuis
Nosso caro ex-presidente reinventou uma dicotomia entre São Paulo e o Nordeste que deflagrou a deplorável manifestação fascista de rejeição contra o povo nordestino.

Sabe qual o movimento brasileiro racista que exala preconceito contra nordestinos? O Integralismo. Para quem não sabe, Integralismo é a versão lusobrasileira do Nazismo.

Sempre que se fala em Nazismo, há quem acuse a citação de Reductio ad Hitlerum ou Lei de Godwin. O fato é que a própria acusação das falácias é uma forma de ocultar a realidade – essas argumentações são verdadeiras quando o fascista acusa o adversário de fascismo.

Quando um grupo social ganha conotação negativa, seus membros fazem de tudo para convencer a sociedade de que ele tenha deixado de existir, pois assim suas ideias podem ser recicladas e reabsorvidas, permitindo a sobrevivência do grupo, geralmente com outro nome ou infiltrado em outros grupos.

E a segunda-feira mórbida de destilação de ódio regional foi uma prova cabal de que as ideias integralistas/fascistas foram reintegradas à sociedade, principalmente a paulista – como explica Hermes Prado Jr.: SP sofre da Síndrome de Estocolmo. Depois de 2 décadas sofrendo com o PSDB, desenvolveu afeição pelo algoz. É o voto psiquiátrico.

É esse tipo de gente que se sente atraída pelas propostas ultraconservadoras e neoliberais de Serra, DEM e PSDB. Não exclusivamente, claro! Nem todo mundo que vota PSDB tem ideias fascistas, mas as ideias anti-socialistas e pró-corporocráticas megacorporativistas dos partidos de direita atraem pessoas com mentalidade equivalente, como os neofascistas enrustidos.

Eu rogo a todos os brasileiros para que não baixem a guarda de seus pensamentos, para que não permitam que ideias descriminatórias, fascistas, racistas, machistas, neoliberais e anti-humanistas contaminem suas mentes.

[update 2010-11-11]
Falando no diabo…

Ontem mesmo em Petrópolis/RJ havia um senhor vestido como se estivesse na Europa (fazia um calor danado) no ônibus fazendo propaganda pró Regime Militar e contra a o processo democrático, xingando a eleição da Dilma, o Lula, o Jango, o Juscelino e fazendo propaganda fascista aberta. Entrou todo mundo na dança.

Petrópolis, em alguns aspectos, até parece São Paulo, com o agravo de ser uma roça.
[/update]


[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-10-24

Voto consciente II

A resposta de Marcos Machado a meu artigo Voto Consciente merece um artigo por si só:

Rodrigo,

Se a gente pensar no Brasil como país, um território, a gente vê um lugar enorme e paradisíaco como poucos lugares no mundo, onde tudo é farto, seguro e bonito.

Se a gente pensar o Brasil como Nação, aí o bicho pega! Ainda vai levar algum tempo até que o país vire nação pois teremos que considerar quem vive aqui, o povo. Não o «povão» pobre, mas todo o povo. Para se ter um nação tem que haver união e trabalho contínuo de compartilhamento de todas as forças materiais e pensamentais. Tem que haver investimento pesado em Educação (em todos os níveis).

O país é o que é, tá aí para se usufruir. Eleições não são para melhorar o Brasil mas para melhorar o sistema de compartilhamento dos bens e responsabilidades. No final das contas, eleições são para melhorar o povo, todo o povo, e fazer com que os brasileiros mereçam o país que têm. Não é fácil morar no paraíso, quando se tem um monte de predadores prontos para pular feito hienas no seu pescoço.

Propaganda e marketing são pra isso mesmo que você vê aí: embalar bem um produto e fazer você crer que precisa dele. Rsrsrsrs… Não fique preocupado com a propaganda e o marketing eleitorais. Estatisticamente 60% dos brasileiros não assistem propaganda eleitoral, em nenhum nível.

Os programas eleitorais e debates (que também ninguém assiste – só algo em torno de 2% de audiência) talvez sirvam mais para mostrar aos militantes partidários o que fazer na captação de votos do eleitores e dão o tom, a cor do «texto» e o ânimo necessários nesse trabalho de formiguinha. Vamos lembrar que o Brasil é um país continental, com muitos «rincões» escondidos no mapa. É um trabalho monstruoso.

Não dá mais para se guiar por essa coisa de esquerda ou direita. A gente vê muito fisiologismo e um «pragmatismo» exacerbados há anos. Já está institucionalizado. É tudo muito bem planejado. Veja como exemplo o PMDB. O que é aquilo? Um partido? São coisa nenhuma, apenas um bando de fisiologistas mas que crescem de forma bacteriana. Não têm filosofia. Ventam pra onde está o poder.

Agora, realmente, a gente desse país precisa saber em quê está votando. Passamos a vida toda sendo treinados a votar em pessoas e não em programas partidários (baseados em diversos sistemas filosóficos). Assim é bem mais fácil o controle, claro, associado a um sistema nulo de educação e superlativo de desinformação.

Quando vemos as práticas da mídia político-partidária associada ao inextinguível capital estrangeiro oriundo de agências de controle a nível global somadas às práticas dos partidos políticos de extrema-direita; quando vemos essa quadrilha de predadores brutamontes e boçais fazendo um mega esforço para destruir tudo o que todo o povo construiu de bom ao longo de décadas, dividindo, confundindo as pessoas, infundindo medo em suas cabeças, insuflando seu lado mais emocional para cegar seu senso crítico e forçar o voto de forma irracional; quando vemos gurus e «especialistas» estrangeiros pagos a peso de ouro pululando em nosso solo brasileiro com o único objetivo de trazer prá cá a desunião, o pensamento único medieval de caça às bruxas, de caça ao que temos de melhor, para destruir. Isso mesmo: sabotar e destruir (!)

Aí, eu pergunto: nós vamos deixar isso acontecer???

Nos últimos 8 anos o governo federal vem diminuindo a extratificação social, melhorando a distribuição de renda; vem reativando o mercado interno para suportar os impactos oriundos da ciranda finaceira internacional, vem costurando o tecido social rasgado ao longo de décadas; vem eliminando o complexo de vira-latas que cedeu lugar ao orgulho de ser brasileiro e de se ver inserido no concerto global com papel de destaque e poder de influência e união entre as nações que não possuem um sistema de governo sólido.

Essa nova postura incomodou os pitbulls reacionários e a direita mundial acionou seus «agentes», regiamente pagos, em todos os meios e agora ligaram a «máquina de moer carne» como a do Tea Party, nos E.E.U.U., que tem um poder imen$o e partiu para liquidar com o «Negro Obama». Quem viver, verá.

Há meses vêm invadindo as nossas caixas postais com todo tipo de lixo pois identificaram o enorme poder que a Internet tem na vida dos brasileiros. Imagine quando o Plano Nacional de Banda Larga do Lula estiver funcionando na plena? Encontraram eco aqui em algumas pessoas mentalmente desequilibradas que repassaram, sem nenhum senso crítico ou por pura maldade tudo o que o Ravi Singh – http://mcaf.ee/8cefb – criou em sua estratégia sórdida, regada a milhões de dólares.

A Marina Silva, uma candidata que teve o apoio de 20 milhões de eleitores, agora faz cú doce e diz que não apóia ninguém e seu partido PV apóia a direita ultrarreacionária. O que estão pensando agora os eleitores da Marina?!?!?! Será que estão conseguindo agora enxergá-la por trás da máscara de boa-moça-em-cima-do-muro-como-Pilatos?

A guerra é ideológica, de controle global e de estratégia geo-política. Tem gente que não enxerga isso!!! Como pode um troço desses? Isso é burrice? Essa gente apenas ajoelha servilmente na frente dos centuriões e… «reza». Isso me dá nojo!!!

Não acredito em santos mas vou fazer a minha parte: voto 13, voto na Dilma e porque, acredito, no momento é o melhor possível a ser feito.

Luz e PAZ!

Marcos Machado


[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-10-15

Voto consciente

Mendes vs Barbosa Eu quero um Brasil melhor.

Mas que se f*da um Brasil melhor e que me f*da eu. Eleições não são para um Brasil melhor, são para um Brasil que os brasileiros mereçam e queiram.

E que se f*da a propaganda eleitoral: nela os candidatos querem convencer VOCÊ de que eles são o que você quer. Serra vai omitir e enganar para convencer você de que quer ele. E Dilma, que não é nenhuma santa, idem.

Então para votar em prol de um Brasil que você quer, não caia na conversa mole da mídia ou dos propagandistas eleitoreiros! Você precisa saber em que (não em quem) está votando.

Os conceitos de esquerda e direita são ainda muito presentes devido a seu caráter relativo. Dilma representa a esquerda e Serra a direita. Mas que droga isso significa?

Esquerda é o pensamento político que pretende diminuir as diferenças sociais. Direita, pelo contrário, é o pensamento político que acredita que as diferenças sociais alimentem o crescimento financeiro da nação e assim precisem ser aumentadas.

Na prática, pense na seguinte parábola:

Imagine um servente de pedreiro, filho de pedreiro, que mal ou bem terminou o ensino médio através de supletivo. Agora ele está fazendo um cursinho pré-vestibular. Se mata de estudar para tentar entender coisas que mal entram em sua cabeça. Ele quer ser médico.

Se você acha que ele está certo, deve correr atrás do sonho e merece todo apoio, você tem pensamento esquerdista e seu voto será consciente se votar #Dilma13.

Se você acha que cada um tem seu lugar na sociedade e que ele deve desistir desse absurdo, você tem pensamento direitista e votará consciente se votar #Serra45.

E acredite em mim: se todo brasileiro pensasse assim, ainda assim teria muito pedreiro votando #Serra45 e muito empresário votando #Dilma13.

Então, não importando em quem você vote, vote consciente. Não por um país melhor, mas por um país que faça jus a seu povo.

[update 2010-10-21]
Para quem reclamou que meu artigo foi muito superficial, recomendo o artigo similar bem mais profundo do Miro Borges: Serra assume agenda que ameaça a Europa, que, aliás, não usa (não precisa usar) a dicotomia esquerda-direita.
[/update]


[]’s
Cacilhας, La Batalema

Sobre o autor

Puxava carroça e tricotava fuxico na feira para ganhar algum dinheiro.
Catava inhame e pariparoba no mato para ter com que alimentar sua família.
Pagava as contas graças à caridade de pessoas de bom coração.
Só no governo Lula foi ter oportunidades de trabalho, quando usou Software Livre para ajudar um provedor de Internet a não falir e participou da migração do CPD da Prefeitura de Petrópolis para Software Livre como consultor de infraestrutura.
Trabalhou como desenvolvedor de ferramentas de apoio a decisão.

Hoje desenvolve ferramentas de backend para software financeiro e trabalha na ponta tecnológica com cloud computing.

2010-09-24

Mino dissolve a Dra Cureau. Quem quer o Golpe? Quem a nomeou?

Baal

Extraído da Carta Capital, sugerido pelo Paulo Henrique Amorim:


Cureau, a censora
Mino Carta 24 de setembro de 2010 às 10:00h

Permito-me sugerir à doutora Sandra Cureau, vice-procuradora-geral da Justiça Eleitoral, que volte a se debruçar sobre os alfarrábios do seu tempo de faculdade, livros e apostilas, sem esquecer de manter à mão os códigos, obras de juristas consagrados e, sobretudo, a Constituição da República. O erro que cometeu ao exigir de CartaCapital, no prazo de cinco dias, a entrega da documentação completa do nosso relacionamento publicitário com o governo federal nos leva a duvidar do acerto de quem a escolheu para cargo tão importante.

Refiro-me, em primeiro lugar, ao erro, digamos assim, técnico. Aceitou uma denúncia anônima para proceder contra a revista e sua editora. Diz ela conhecer a identidade do denunciante, acoberta-o, porém, sob o manto do sigilo condenado pelo texto constitucional e por decisões do Supremo Tribunal Federal. Protege quem, pessoa física ou jurídica, condiciona a denúncia ao silêncio sobre seu nome. Ou seja, a vice-procuradora comete uma clamorosa ilegalidade.

Há outro erro, ideológico. Quem deveria zelar pela lisura do embate eleitoral endossa a caluniosa afronta que há tempo é cometida até por colegas jornalistas ardorosamente empenhados na campanha do candidato tucano à Presidência. A ilação desfraldada a partir do apoio declarado, e fartamente explicado por CartaCapital, à candidatura- de Dilma Rousseff revela a consistência moral e ética, democrática e republicana dos acusadores, ou por outra, a total inconsistência. A tigrada não concebe adesão a uma candidatura sem a contrapartida em florins, libras, dracmas. Reais justificados por abundante publicidade governista.

Sabemos ser inútil repetir que a publicidade governista premia mais fartamente outras publicações. Sabemos que José Serra, ainda governador, mas de mira posta na Presidência, assinou belos contratos de compra de assinaturas com todas as maiores empresas jornalísticas do País, com exceção, obviamente, da editora de CartaCapital. Sabemos que não é o caso de esperar pela solidariedade- dos patrões da mídia e dos seus empregados, bem como das chamadas entidades de classe, sem falar da patética Sociedade Interamericana de Imprensa. Estas, aliás, se apressam a apoiar a campanha midiática que aponta em Lula o perigo público número 1 para a democracia e a liberdade de imprensa.

Nem todos os casos denunciados pela mídia nativa merecem as manchetes de primeira página, um e outro nem mesmo um pálido registro. É inegável, contudo, que dentro do PT há uma lamentável margem de manobra para aloprados de extrações diversas. CartaCapital tem dado o devido destaque a crimes como a quebra de sigilo fiscal e a deploráveis fenômenos de nepotismo e clientelismo, embora não deixe de apontar a ausência das provas sofregamente buscadas pelos perdigueiros da informação, em vão até o momento, de ligações com a campanha de Dilma Rousseff.

Vale, porém, discutir as implicações da liberdade de imprensa, e de expressão em geral. É do conhecimento até do mundo mineral que a liberdade de informar encontra seus limites no Código Penal. Se o jornalista acusa, tem de provar a acusação. E informar significa relatar fatos. Corretamente. Quanto à opinião, cada um tem direito à sua.
Muito me agrada que o Estadão e o Globo em editoriais e, se não me engano,- um colunista tenham aproveitado a sugestão feita por mim na semana passada. Por que não comparar Lula a Luís XIV, além de Mussolini e Hitler? Compararam, para ampliar o espectro da evocação. De ditadores de extrema-direita a um monarca por direito divino, aprazível passeio pela história.

Volto à carga: sinto a falta de Stalin, talvez fosse personagem mais afinada com a personalidade de Lula, aquele que ia transformar o Brasil em república socialista. Quem sabe, a tarefa fique para a guerrilheira terrorista, assassina de criancinhas.
Espero ter sido útil, com uma contribuição aos delírios de quem percebe o poder a lhe escorrer entre os dedos. A campanha midiática a favor do candidato tucano não é digna do país que o Brasil merece ser, e sim adequada ao manicômio. Aumenta o clamor de grupelhos de inconformados de uma velha-guarda que não dispensa militares de pijama, todos protagonistas de um espetáculo que fica entre a ópera-bufa e o antigo Pinel. Que tem a ver com liberdade de imprensa acusar Lula e Dilma de pretenderem “mexicanizar”, ou “venezuelizar” o Brasil? Ou enterrar a democracia?

Mesmo que o presidente não pronuncie sempre palavras irretocáveis, onde estão as provas desse terrificante projeto? Temos, isto sim, as provas em sentido contrário: os golpistas arvoram-se a paladinos de uma legalidade que eles somente ameaçam. A união da mídia já produziu alguns entre os piores momentos da história brasileira. A morte de Getúlio Vargas, presidente eleito, a resistência a Juscelino, o golpe de 1964 e suas consequências 21 anos a fio, sem contar com a oposição à campanha das Diretas Já. Ou com o apoio maciço à candidatura de Fernando Collor, à reeleição de Fernando Henrique, às privatizações vergonhosamente manipuladas.

É possível perceber agora que este congraçamento nunca foi tão compacto. Surpreende-me, por exemplo, o aproveitamento que o Estadão faz das reportagens de Veja, citada com todas as letras. Em outros tempos não seria assim, a família Mesquita tachava os Civita de “argentários” em editoriais da terceira página. As relações entre os mesmos Mesquita, os Frias e os Marinho não eram também das melhores. Hoje não, hoje estão mais unidos do que nunca. Pelo desespero, creio eu.

A união, apesar das divergências, sempre os trouxe à mesma frente quando o risco foi comum. Ameaça ardilosamente elevada à enésima potência para justificar o revide pronto e imediato. E exorbitante. A aliança destes dias tem uma peculiaridade porque o risco temido por eles é real, a figurar uma situação muito pior do que aquela imaginada até o começo de 2010. Desespero rima com conselheiro, mas como tal é péssimo. De sorte que estão a se mover para mais uma Marcha da Família, com Deus, pela Liberdade. A derradeira, esperamos. Não nos iludamos, no entanto. São capazes de coisas piores.

Otimista em relação ao futuro, na minha visão vivemos os estertores de um sistema, mudança essencial ao sabor de um confronto social em andamento, sem violência, sem sangue. Diria natural, gerado pelo desenvolvimento, pelo crescimento. Donde, por mais sombrios que sejam os propósitos dos verdadeiros inimigos da democracia, eles, desta vez, no pasaran. Eles próprios se expõem a risco até ontem inimaginável. Se houver chance para uma tentativa golpista, desta vez haverá reação popular, com consequências imprevisíveis.
Episódio representativo da situação, conquanto não o mais assombroso, longe disso, é a demanda da vice-procuradora da Justiça Eleitoral para averiguar se vendemos, ou não, a nossa alma. Falo em nome de uma pequena redação que não desiste há 16 anos na prática do jornalismo honesto, pasma por estar sob suspeita ao apoiar às claras a candidatura Dilma.

Sugiro à doutora Sandra que, de mão na massa, verifique também se a revista IstoÉ recebeu lauta compensação do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema quando o acima assinado em companhia do repórter Bernardo Lerer, escreveu uma reveladora, ouso dizer, reportagem sobre Luiz Inácio da Silva, melhor conhecido como Lula, publicada em fevereiro de 1978. Ou se acomodou-se em uma espécie de mensalão ao publicar oito capas a respeito da ação de Lula à frente de uma sequência de greves entre 1978 e 1980. Ou se me locupletei pessoalmente por ter estado ao lado dele na noite de sua prisão, e da sua saída da cadeia, quando enquadrado pela ditadura na Lei de Segurança Nacional, bem como nas suas campanhas como candidato à Presidência da República. Desde o dia em que conheci o atual presidente da República, pensei: este é o cara.

Mino Carta


[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-09-08

Festa D’Itália

Alemanha Nesse último feriadão passado, de 03 a 07 de setembro, aconteceu em Silent Hill Petrópolis a Festa D’Itália.

Muito interessante ir à festa beber cerveja italiana, comer chucrute italiano e salsichão italiano, tudo ao som da trilha sonora da novela Terra Nostra.

Deixando de lado a reciclagem da Bauernfest e o maldito estereótipo by Rede Globo, no último dia de Festa D’Itália rolou uma apresentação insuperável da Tribo de Gonzaga.

No meio da apresentação, ocorreu um momento hilário quando Guido Martini quase engoliu parte do microfone e ficou uma música fora, quase sendo levado para a UPA.

Bem, o fato é que no final de toda essa palhaçada turistoide salvou-se um show memorável que valeu por todos os dias.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-09-04

Bizarrices cotidianas

Heim? São incríveis as sitações bizarras que presenciamos no dia-a-dia…

Segue uma pequena coletânea de algumas últimas das quais fui espectador:

Tirando onda pra onda não me tirar


Estava eu no ônibus roletão, de bermuda, chinelo e uma camisa bem batida – não furada ainda –, completamente à vontade e à toa. Entra um sujeito com tênis Abibas (não é Adidas!), calças jeans, camiseta mamãe-sou-gay e óculos escuros. Até aqui tudo bem.

O cara me olha de cima em baixo antes de passar a me ignorar e senta num banco próximo fazendo pose de fodão. Toda expressão corporal de bolacha do pacote.

Já é escroto o suficiente um babaca de carrão tirando onda assim, mas andando de roletão o sujeito acha que tira onda de quê?

Como não morrem?


Outro dia, na esquina da Rua da Quitanda com a Alfândega, no Centro do Rio, havia uma moça muito bonita em um vestido leve e sensual, sem ser vulgar.

Passei por ela e parei para esperar os carros que passavam antes de atravessar, mas foram os carros que tiveram de parar bruscamente…

Passaram por mim dois valetes sem noção olhando para a moça com cara de lobo mau, que nem viram os carros – ou a rua – e saíram atravessando na frente do trânsito. Pra meu espanto, logo atrás veio um terceiro.

Como essa gente sobrevive até a idade adulta?

O povo brasileiro não sabe votar


Esta vai por último pois é a mais bizarra de todas.

Estava eu no Escritório de Direitos Autorais da Biblioteca Nacional para efetuar um registro. Na fila, à minha frente, havia um senhor idoso reclamando sem parar que o povo brasileiro não sabe votar, que por causa disso elegeram o Lula e ele estaria destruindo o Brasil e que bom mesmo era no Regime Militar, quando quem escolhia os governantes eram as pessoas que sabiam o que é certo.

Muito bem… chegando ao guichê esse senhor foi explicar à atendente o que ele queria:

Ele disse que havia registrado um modelo de automóvel há uns anos e que uma empresa de automóveis havia posteriormente construído o modelo dele sem pagar os devidos royalties. Ele disse que entrou na justiça, mas perdeu o processo porque o modelo descrito no registro dele não combinava com o modelo fabricado pela empresa.

Qual a ideia genial? Ele estava lá porque queria anexar à obra original a descrição do modelo fabricado pela empresa (!!). A atendente explicou que ele poderia sim fazer um anexo posterior à publicação, mas que não adiantaria de nada, já que a data da anexação constaria na obra.

Ele respondeu que tudo bem, que isso era problema dos advogados dele.

Para terminar a bizarrice, houve um problema com o título da obra: a obra original havia sido registrada com título em português e no anexo ele colocou o título em inglês. Ele disse então para registrar uma errata alterando o título da obra para o inglês, pois, segundo suas palavras, ele não queria mais passar o feio de apresentar seu projeto com título nessa linguazinha horrorosa.

Pois é, realmente uma pessoa muito honesta e politizada… =/

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-08-31

Blogagem Coletiva em repúdio ao AI5 Digital – 31/08

AI5 Digital

Veja também no blog do gutocarvalho.net:

Blogagem Coletiva em repúdio ao AI5 Digital – 31/08



Amigos, os adoradores do AI5Digital e da ditadura, os amantes do vigilantismo, os defensores dos direitos econômicos em detrimento dos direitos civis que formam o tripé do atraso, estão se movimentando para aprovar o famigerado e monstruoso AI5Digital que há muito deveria ter sido fulminado, destruído e acabado.

A turma do Grande Irmão: Azeredo, Febraban, Fecomercio e outros do mesmo quilate estão fazendo uma força tremenda para nos empurrar o AI5Digital guela abaixo de qualquer forma, vamos aos fatos:
  1. A mídia continua repetindo o Mantra da Irracionalidade contra a Internet
  2. No dia 05/08/10 O Deputado Pinto Itamaraty do PSDB apresentou parecer favorável ao AI5Digital, ignorando todos os argumentos e movimentos sociais dos últimos três anos.
  3. Seis dias depois aparece uma matéria dizendo que os Deputados buscarão acordo para votar a lei de crimes na Internet.
  4. E agora um evento para lá de esquisito organizado pela revista Decision Report, uma publicação que parece estar à serviço do Azeredo e do vigilantismo, se anuncia para o dia 31/08 com o título oportuno (para o tripé do atraso) de: Crimes Eletrônicos – A urgência da lei. O curioso e que este evento conta com 19 palestrantes para falarem em 2:30h, o que dá um pouco mais de 7 minutos para cada um.

Por estas e por outras que estamos convocando uma blogagem coletiva para o dia 31/08/10, justamente no dia do tal evento à serviço do Azeredo e do AI5digital, vamos fazer uma blogagem coletiva contra o AI5Digital para lembrar a todos que queremos a Internet como um espaço livre e democrático!!!

Fonte:
http://meganao.wordpress.com/2010/08/27/blogagem-coletiva-de-repudio-ao-ai5-digital/

Participe do MEGANÃO, acesse agora:

http://meganao.wordpress.com/o-mega-nao/quem-esta-participando/


[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-08-29

Uma explicação simplificada sobre partidos políticos

lâmpada Um amigo meu me perguntou qual a relação entre os políticos e os partidos. Depois de uma conversa ele sacou de cara, mas me toquei que muita gente não entende.

Há um entendimento equivocado de que os partidos políticos servem apenas como uma burocracia para a eleição de candidatos.

Outros ainda afirmam que não votam em partidos, mas em políticos. Não sabem o quanto podem estar errados…

Um partido político é, em essência, um grupo de pessoas que possuem as mesmas convicções políticas, chamadas ideologia política, que norteiam as ações dos políticos.

[parêntesis]
A palavra ideologia muitas vezes é vista de modo pejorativo, mas isso se dá devido à ação de corruptos que tentam manter o povo ignorante e manipulável.

Ideologia são os princípios morais que você, eu e todos temos. Você confiaria em uma pessoa sem princípios morais?
[/parântesis]


Então a filiação de um político a um partido diz bastante sobre suas intenções.

[parêntesis]
Alguns ainda querem fazer crer que os conceitos de direita e esquerda estejam obsoletos. Também é um ato de corrupção na tentativa de fazer com que os eleitores não percebam que há ideologias políticas que não visam o bem da sociedade. Informe-se sobre os princípios exatos de capitalismo, comunismo, socialismo e neoliberalismo.
[/parântesis]


Independente de com qual filosofia política você se identifique, é importante não confiar em políticos sem convicção partidária, ou seja, que se filiam a um partido e não seguem sua ideologia ou que ficam trocando entre partidos de ideologias incompatíveis – são pessoas sem princípios morais.

Também partidos sem uma identidade bem definida não merecem respeito ou voto, são como fábricas de políticos profissionais no mal sentido, aqueles cujo único interesse é mamar nas tetas do governo e procuram partidos que não vão chateá-los por conta de sua conduta.

Então voto consciente: para cada cargo político procure o político com cujas ideias (a ideologia) você mais se identifique e evite aqueles sem ideologia, pois hoje eles podem defender aquilo em que você acredita, amanhã não…

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-08-10

Pomposo ultradireitista expõe preconceito regional

Baal Meu amigo Walter Cruz me recomendou a leitura de uma discussão no grupo Lisp-br chamada Pedido.

Nela um holandês chamado Joop Kiefte pede informações sobre moradia e emprego no Brasil:

Olá!

Eu sou da Holanda e chegarei logo no Brasil para morar aí. Quero perguntar se vocês sabem de casa não caro demais perto de Rio ou Salvador, e/ou de trabalho que posso fazer aí.

Obrigado pela sua atenção!

Joop


Um sionista ou nazista chamado Rafael Ibraim deu uma resposta preconceituosa e ultradireitista:
Como nos últimos anos o governo tem desviado o (nosso) dinheiro para a região norte/nordeste em grande quantidade, talvez seja mais fácil encontrar um emprego no norte… Não conheço os preços no Rio, mas sei que no norte as cidades *próximas* às capitais tem preços até bem
acessíveis…

Caso você nunca tenha visitado o Brasil, atenção: Os estados brasileiros que estão fora da região sul/sudeste costumam ter uma *péssima* infra-estrutura (estradas, sinalização, etc.) mesmo em locais turísticos. Recomendo pesquisar bem estes detalhes antes de tomar sua decisão final.

PS* Para quem não reside nas regiões sul/sudeste: Minha intenção não foi ofender ninguém. Estou apenas citando o fato de que devido a diversos fatores (entre eles, descaso do governo) muitas regiões do país tem sim uma infra-estrutura muito defasada e esse é um ponto que deve ser levado em consideração por alguém que planeja mudar de residência.

(…)

Rafael Ibraim
Oracle Database SQL Expert
ibraim...@gmail.com


Destaquei em negrito os trechos que deixam mais evidente o preconceito social e político do alienado, que aliás foi o único pomposo a colocar uma assinatura como expert Oracle.

O mais bonito dessa história toda foi a resposta de Alex Queiroz:
Apesar das pretensões separatistas da parcela supremacista branca das populações do Sul e Sudeste, o Brasil ainda é um único país. Achei então interessante o seu uso das palavras «desvio» e «nosso dinheiro», dado que uma vez que impostos federais são usados o governo federal pode usá-los onde bem entender. E só sendo um administrador muito burro para não usar o dinheiro onde ele é mais necessário, no caso do Brasil, fora do eixo Sul-Sudeste.

--
-alex
http://www.artisancoder.com/


Bem colocado.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-07-30

Retrocesso da lei ambiental

Recebi hoje o seguinte email de Graziela Tanaka do Avaaz.org:

Caros amigos,

É chocante, a Comissão Especial da Câmara, tomada por deputados ruralistas, conseguiu enfraquecer o nosso Código Florestal. Porém a lei ainda não foi para votação então ainda podemos salvar nossas florestas.

A campanha pelo Código já chamou atenção em Brasília, houve algumas revisões no texto e conseguimos entregar a nossa petição para deputados e líderes partidários depois que as nossas 40.000 mensagens foram bloqueadas pela Câmara. Porém vamos precisar de apoio para dar fôlego à campanha e para encarar o poderoso agronegócio.

Nós podemos focar em deputados indecisos, lançar um apelo midiático, organizar ligações em massa e manifestações*, estando presente com mobilizações em massa a cada momento decisivo. Nós já somos mais de 650.000 pessoas da comunidade da Avaaz no Brasil, se cada um contribuir R$ 5 as nossas vozes serão ouvidas, como fizemos com a Ficha Limpa. *Clique abaixo para contribuir:

https://secure.avaaz.org/po/codigo_em_perigo/?cl=679307085&v=6874

Nós sabemos que as nossas campanhas funcionam. Algumas semanas atrás entregamos a maior petição pelas baleias a história, diretamente para os delegados da Comissão Baleeira Internacional. A nossa campanha se tornou a principal notícia do BBC World News e ao final, apesar do forte lobby das nações a favor da caça comercial de baleias, a proibição da caça foi mantida.

Aqui no Brasil nós sabemos que a nossa comunidade é uma nova e poderosa força democrática – apesar de quase 25% dos deputados responderem a processos na justiça, nos disseram que a Ficha Limpa nunca iria passar, mas depois de construirmos a maior campanha online na história do Brasil, nós vencemos!

Especialistas dizem que se a proposta ruralista passar, esta será a maior perda ambiental em décadas, permitindo a destruição de 80 milhões de hectares de florestas nativas e dando anistia para todos os crimes ambientais desde 2008. O Código Florestal garante não só a preservação das florestas e as populações que dependem dela, mas também previne as mudanças climáticas.

O poder do modelo da Avaaz é usar a tecnologia para que uma pequena equipe possa gerar o engajamento coletivo de milhões de pessoas. A campanha da Ficha Limpa foi possível com apenas alguns membros da equipe da Avaaz, servindo toda a comunidade no Brasil. Clique abaixo para doar uma pequena quantia* para turbinar a nossa campanha, desafiando os ruralistas e defendendo o Código Florestal:

https://secure.avaaz.org/po/codigo_em_perigo/?cl=679307085&v=6874

A nossa comunidade no Brasil contribuiu para desafiar as convenções e trazer uma nova política, transparente e responsável. Vamos agir juntos novamente e construir este movimento para garantir que as políticas e leis reflitam os interesses de todos nós brasileiros e não somente uma minoria poderosa. Juntos nós podemos construir o Brasil que queremos!

Com esperança,

Graziela, Ricken, Alice, Luis, Iain, Pascal, Benjamin e toda a equipe Avaaz

Fontes:

Mudança no Código Florestal pode resultar no desmatamento de 80 milhões de hectares: http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/06/21/brasil…


Novo código florestal pode agravar ameaça à Amazônia: http://oglobo.globo.com/pais/mat/2010/07/26/novo-codigo-florestal…


Retrocesso ambiental (Greenpeace): http://www.greenpeace.org/brasil/pt/Noticias/Retrocesso-ambiental-/


Repassando…

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-07-26

Superporcaria (e outros enlatados)

Superman Não dá pra negar que uma coisa que os norte-americanos fazem muito bem é filme – mas algo que eles fazem melhor ainda é mentir/enganar.

Raramente me atrevo a comentar um filme na época de seu lançamento, inundado por toda propaganda e intusiasmo marqueteiro da ocasião. Também são poucos filmes – falando dos hollywoodianos – que, após uns meses, continuam a empolgar-me.

Alguns exemplos de filmes norte-americanos que continuam a emocionar-me são Stargate (propositalmente em primeiro), The Matrix, Inimigo Meu, Conan, o Bárbaro e sua continuação, Conan, o Destruidor, K-PAX, Kung Fu Panda, a primeira série de Star Wars (Uma Nova Esperança, O Império Contra-ataca e O Retorno de Jedi), Superman, O Fantasma da Ópera, Hellraiser, Entrevista com o Vampiro e muitos outros – se eu for citar, serão alguns artigos só sobre isso.

Porém a grande maioria dos filmes norte-americanos são grandes porcarias, que apelam para a abundância de propaganda e a inundação de nossas vidas com apelações emociais que tentam nos levar a comprar tudo o que esteja vinculado às franquias.

Alguns exemplos recentes são a destruição total da cultura vampiresca Crepúsculo, que acaba com toda beleza da literatura, transformando os vapiros em meros super-heróis, e o medíocre Avatar, uma versão futurista de Pocahontas – nem tanto ruim, apenas medíocre.

Mas iniciei este artigo porque hoje assisti novamente Superman Returns, uma coleção mal colada de clichês desgastados e ultrarreciclados, que vale a pena assistir apenas pela ótima atuação do genial Kevin Spacey.

Não entendo como alguém pode emocionar-se com esse filmeco. Frustrante.

Foi frustrante na primeira vez que vi, continua frustrante agora.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-07-13

Carta de uma escritora (quase) holandesa

Brasil

[update]
Caí na pegadinha!

A internauta Ednalva Ramos enviou para o Acorda Cidade um texto que há algum tempo circula na Internet, supostamente escrito por uma holandesa identificada como Alex Lemos. A bem da verdade, o estilo é bem brasileiro.

Apesar da carta poder não ter sido escrito por uma holandesa, os dados continuam sendo verídicos e comprováveis.

Assim sendo, mantenho o artigo e a chamada ao compromisso nacionalista.

Por que é preciso que um estrangeiro diga algo para acreditarmos? Por que quando um brasileiro diz algo, seria automaticamente questionável?
[/update]


Recebi esta mensagem por email de meu amigo L.P. e achei importante reproduzi-la:

O que uma escritora holandesa falou do Brasil


Leia com bastante atenção


Os brasileiros acham que o mundo todo presta, menos o Brasil, realmente parece que é um vício falar mal do Brasil. Todo lugar tem seus pontos positivos e negativos, mas no exterior eles maximizam os positivos, enquanto no Brasil se maximizam os negativos. Aqui na Holanda, os resultados das eleições demoram horrores porque não há nada automatizado.

Só existe uma companhia telefônica e pasmem!: Se você ligar reclamando do serviço, corre o risco de ter seu telefone temporariamente desconectado.

Nos Estados Unidos e na Europa, ninguém tem o hábito de enrolar o sanduíche em um guardanapo – ou de lavar as mãos antes de comer. Nas padarias, feiras e açougues europeus, os atendentes recebem o dinheiro e com mesma mão suja entregam o pão ou a carne.

Em Londres, existe um lugar famosíssimo que vende batatas fritas enroladas em folhas de jornal – e tem fila na porta.

Na Europa, não-fumante é minoria. Se pedir mesa de não-fumante, o garçom ri na sua cara, porque não existe. Fumam até em elevador.

Em Paris, os garçons são conhecidos por seu mau humor e grosseria e qualquer garçom de botequim no Brasil podia ir pra lá dar aulas de «Como conquistar o Cliente».

Você sabe como as grandes potências fazem para destruir um povo? Impõem suas crenças e cultura. Se você parar para observar, em todo filme dos EUA a bandeira nacional aparece, e geralmente na hora em que estamos emotivos…

Vocês têm uma língua que, apesar de não se parecer quase nada com a Língua Portuguesa, é chamada de Língua Portuguesa, enquanto que as empresas de software a chamam de Português Brasileiro, porque não conseguem se comunicar com os seus usuários brasileiros através da Língua Portuguesa.

Os brasileiros são vitimas de vários crimes contra a pátria, crenças, cultura, língua, etc. Os brasileiros mais esclarecidos sabem que temos muitas razões para resgatar suas raízes culturais.

Os dados são da Antropos Consulting:

  1. O Brasil é o país que tem tido maior sucesso no combate à AIDS e de outras doenças sexualmente transmissíveis, e vem sendo exemplo mundial.

  2. O Brasil é o único país do hemisfério sul que está participando do Projeto Genoma.

  3. Numa pesquisa envolvendo 50 cidades de diversos países, a cidade do Rio de Janeiro foi considerada a mais solidária.

  4. Nas eleições de 2000, o sistema do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) estava informatizado em todas as regiões do Brasil, com resultados em menos de 24 horas depois do início das apurações. O modelo chamou a atenção de uma das maiores potências mundiais: os Estados Unidos, onde a apuração dos votos teve que ser refeita várias vezes, atrasando o resultado e colocando em xeque a credibilidade do processo.

  5. Mesmo sendo um país em desenvolvimento, os internautas brasileiros representam uma fatia de 40% do mercado na América Latina.

  6. No Brasil, há 14 fábricas de veículos instaladas e outras 4 se instalando, enquanto alguns países vizinhos não possuem nenhuma.

  7. Das crianças e adolescentes entre 7 a 14 anos, 97,3% estão estudando.

  8. O mercado de telefones celulares do Brasil é o segundo do mundo, com 650 mil novas habilitações a cada mês.

    Na telefonia fixa, o país ocupa a quinta posição em número de linhas instaladas.

  9. Das empresas brasileiras, 6.890 possuem certificado de qualidade ISO-9000, maior número entre os países em desenvolvimento. No México, são apenas 300 empresas e 265 na Argentina.

  10. O Brasil é o segundo maior mercado de jatos e helicópteros executivos.


Por que vocês têm esse vício de só falar mal do Brasil?

  1. Por que não se orgulham em dizer que o mercado editorial de livros é maior do que o da Itália, com mais de 50 mil títulos novos a cada ano?

  2. Que têm o mais moderno sistema bancário do planeta?

  3. Que suas agências de publicidade ganham os melhores e maiores prêmios mundiais?

  4. Por que não falam que são o país mais empreendedor do mundo e que mais de 70% dos brasileiros, pobres e ricos, dedicam considerável parte de seu tempo em trabalhos voluntários?

  5. Por que não dizem que são hoje a terceira maior democracia do mundo?

  6. Que apesar de todas as mazelas, o Congresso está punindo seus próprios membros, o que raramente ocorre em outros países ditos civilizados?

  7. Por que não se lembram que o povo brasileiro é um povo hospitaleiro, que se esforça para falar a língua dos turistas, gesticula e não mede esforços para atendê-los bem?


Por que não se orgulham de ser um povo que faz piada da própria desgraça e que enfrenta os desgostos sambando.

É! O Brasil é um país abençoado de fato.

Bendito este povo, que possui a magia de unir todas as raças, de todos os credos.
Bendito este povo, que sabe entender todos os sotaques.
Bendito este povo, que oferece todos os tipos de climas para contentar toda gente.
Bendita seja, querida pátria chamada
Brasil!!

Divulgue esta mensagem para o máximo de pessoas que você puder. Com essa atitude, talvez não consigamos mudar o modo de pensar de cada brasileiro, mas ao ler estas palavras irá, pelo menos, por alguns momentos, refletir e se orgulhar de ser BRASILEIRO!!!


[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-07-05

Os maçons egípcios (e meu avô) previram fim do mundo em 2012

WTF? É incrível como os antigos maçons egípcios1 previram o fim do mundo em 2012!

Se você pegar o tamanho da passagem principal da Grande Pirâmide em polegadas piramidais (1polegada piramidal = 0,02544039m) e dividir pelo número mágico arbitrário 1,272 obterá o valor 4.142.

No ano 2.141 a.C foi a última vez que a luz da Estrela Polar incidiu entre as linhas estriadas na passagem2, 4.142 anos depois é 2001.

Isso prova que o mundo vai acabar em 2012!

Faz sentido pra você? Pra mim também não…

Mas se fizer, pense no seguinte:

O passeio do lado de fora de minha casa foi construído em 1973. Se multiplicarmos o tamanho em pés pelo número mágico arbitrário 1,1887, obteremos o valor 39.

39 anos após 1973 dá 2012, então meu avô era um profeta! Previu o fim do mundo com mais precisão que os maçons egípcios.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

1Maçons egípcios: a Maçonaria foi criada na Idade Média, mas os pseudo-esotéricos dizem que a Pirâmide de Khufu, construída entre 2.589 e 2.566 a.C, teria sido projetada pelos maçons. =/

2O que aconteceu 425 anos após o término da construção da Grande Pirâmide.

2010-07-04

Corrupção se traz de casa

Baal Silent Hill Petrópolis é a cidade mais tucana do Estado do Rio – mesmo quando gerida por outros partidos. Hoje entendi melhor por quê.

O serviço de transporte público de Petrópolis se encontra sucateado e a intervenção da prefeitura não resolveu nada, beirando a inação. O prefeito é um vendido, pseudopetista aliado dos demotucanos, nada faz contra as empresas predatórias da região, para não as atrapalhar, prejudica a população.

Revoltado com a situação e com a gota d’água da postura de um motorista de ônibus que me irritou, preferi tomar um táxi. Conversando com o taxista, ele me disse que sabe que todo político é ladrão, portanto vota em tucano porque assim não se frusta: já sabe o resultado.

Tentei convencê-lo de que é preciso politizar-se e acompanhar a vida política dos candidatos, os resultados de seus trabalhos, mas ele foi irredutível, prefere votar em bandido do que sofrer ao ver-se enganado.

Só posso dizer então que o petropolitano merece a merda de aparelho público que tem.

Essa postura me lembrou de uma professora de meu filho do jardim de infância. Certa vez em uma dinâmica de grupo eu sugeri a seguinte situação:

Há uma criança problemática e a metodologia tradicional sabidamente não surtirá resultado, aplicando-a o aluno estará perdido. Mas há metodologias de ensino alternativas à disposição, porém não se sabe se funcionarão ou não.

A professora disse que sem questionar adotaria a metodologia tradicional, pois mais importante do que salvar a criança, é a previsibilidade do resultado. Ou, em outras palavras, se o resultado não é previsível, é melhor não tentar; se é previsível, mesmo sabendo que não dará certo, é automaticamente o jeito correto.

Não consigo aceitar esse pensamento, é um mecanismo de manipulação de massa para manutenção da corrupção.

Se for esse o pensamento médio do petropolitano, explica muito bem por que Petrópolis é a cidade mais tucana do estado e por que se encontra em seu atual estado de calamidade.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-06-23

Sexta sem Globo

#DiaSemGlobo

Sexta-feira, dia 25/6, assista ao jogo do Brasil em outra emissora!

(Se possível assista qualquer outra coisa em outra emissora e deixe a Globo manipular fantasmas.)

[]’s
Cacilhας, La Batalema

PS: Campanha vinda de opalpiteiro.

2010-06-20

A Revolução Auténtica

lâmpada A geração anterior a minha lutou contra o status quo de sua época e criou uma contracultura magnífica, abominada pelos detentores do sistema.

Em minha geração, talvez por não sermos filhos dessa geração revolucionária e subversiva, quando chegou nossa hora de rebeldia, procuramos essa geração e reforçamos a luta contra o sistema perverso.

No entanto, a mídia, protetora tradicional da perversão, arrumou meios de perverter a revolução nas próximas gerações.

A Revolução Auténtica foi corrompida, teve seus símbolos desconstruídos e substituídos por ícones estereotípicos e vazios que trazem de volta o conformismo que garante o poder do status quo retrógrado.

Um exemplo disso é a banda estereotipada Restart

Um roquezinho fraco e superficial ao estilo Jonas Bostas, desconstrói signos poderosos:

Do Rock’n’roll o sinal de James Dio, que signfica espantar os maus fluidos para atrair os bons, eles usam de uma forma que, na melhor das hipóteses, significa dizer «eu sou um corno».

Da revolução da Web, que tem sua força na criação de redes sociais multilaterais, roubam o nome, que representa uma ação que interrompe a comunicação e um elemento puramente tecnológico e vendável.

E assim as grandes empresas manipulam moleques de pouca competência artística para transformar os signos revolucionários – contra o sistema consumista – em símbolos do consumismo neoliberal desregrado, resgatando os planos anti-humanistas de Victor Lebow.

Restart é apenas um exemplo. Há muitos e muitos outros, distorcendo a revolução, o Rock’n’roll, o jeito nerd de ser (que se degerou em modismo), etc.

#fail


Porém a Revolução Auténtica vai e vem em ciclos cada vez mais poderosos e espero que seja possível revertermos esta realidade pessimista e resgatarmos seu caminho construtivo. Uma ação em prática é a rede UnderOground, para aquecer o circuito underground de Petrópolis/RJ.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-06-18

Morre José Saramago

José Saramago
Hoje, dia 18 de junho de 2010, morre aos 87 anos o Prémio Nobel de Literatura, Mestre José Saramago.

Sai da vida e entra para a História o grande mito.

 




[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-06-16

Sistema linear de consumo

Ótimo vídeo no Youtube descreve perfeitamente como funciona o sistema capitalista resultante do pensamento neoliberal defendindo pelos demotucanos:



Aviso: pensamento esquerdista a partir de 19 minutos e 15 segundos!

Viu que lindo é o sistema capitalista? Vamos votar nos demotucanos e preservar o sistema linear consumista ou preferiremos votar nos verdadeiros esquerdistas e eliminar esse ciclo vicioso?

[]’s
Cacilhας, La Batalema


PS: Vídeo apresentado pelo professor de História de meu filho.

2010-06-13

Lavagem cerebral

Baal Revistas pseudocientíficas, como a Super(des)interessante e a Mundo Estranho, usam uma tática muito funcional de lavagem cerebral para conduzir o raciocínio de seus leitores a conclusões estúpidas, mas aparentemente científicas. É por isso que se vê tantos ateus convictos¹ e americanistas por aí.

Cativar


Para cativar o leitor, a revista o trata como parte de uma suposta elite cultural, conhecedora de verdades esotéricas, ocultas da grande massa.

Para tanto, eles citam uma série de fatos conhecidos como se fossem verdades ocultas, com as quais o leitor se identificará.

Assim o leitor tem o ego inflado e a sensação de pertencer a um grupo de pessoas superiores.

Reiterar


A revista também apresenta uma série menor de fatos comprovados, mas pouco conhecidos, que o leitor pode não saber.

O leitor vai inicialmente ficar curioso e procurar discretamente se informar, atestando a veracidade, o que reitera sua confiança na seriedade da revista.

Manipular


Os dois grupos anteriores são a maioria, mas inofensivos: escolhidos cuidadosamente para não fazer diferença para o leitor ou a revista. Dois grandes grupos de inutilidades.

Então vem o objetivo: escondidas no meio das informações verídicas e inúteis há algumas inverdades, meias verdades e desinformação que, caso o leitor acredite, vão pouco a pouco direcionando suas posições.

No entanto o leitor já está cativado demais para questionar e já não procura outras fontes para validar a revista por três motivos: 1º porque já confia na seriedade da revista; 2º porque, em meio a tantas afirmações, é muito difícil distinguir o que é fato do que é desinformação; 3º porque estaria indo contra a elite da qual faz parte, tornando-se assim um renegado, um excluído.

**


E assim essas revistas levam seus leitores a acreditar que os Irmãos Wright sejam os pais da aviação, que friagem não influencie no resfriado, que o materialismo seja conclusão científica e outras besteiras historicamente ou cientificamente já derrubadas.

[]’s
Cacilhας, La Batalema


¹Ateu convicto: não quis me referir aqui aos ateus legítimos, mas aos fanáticos que se acham os donos da verdade absoluta e agem exatamente igual a qualquer fanático religioso, tentando evangelizar as outras pessoas. Se você for «ateu», conviva com isso e cada um na sua! (Nessa frase também cabe «religioso».)

Maria vai com as outras

Heim? Uma revista de menor importância da Editora Abril, Mundo Estranho, sugeriu subliminarmente que a blogosfera é um bando de maria-vai-com-as-outras.

É óbvio que isso não foi dito explicitamente (senão a reação seria arrasadora), mas de modo sutil, para começar a plantar uma semente de desconfiança contra a blogosfera e tentar assim ferir sua autenticidade. Isso aconteceu na edição 97 (março de 2010), página 23: como exemplo de maria-vai-com-as-outras são citados os blogs.

Mesmo com toda essa sutileza, isso foi sim um ataque e esta é minha defesa.

Por que a blogosfera não é um bando de maria-vai-com-as-outras?


Para haver um bando de maria-vai-com-as-outras deve haver uma fonte: alguém que grite mais alto e faça valer sua opinião. Então, por ter uma opinião fraca, o maria-vai-com-as-outras acaba por acreditar que a opinião da fonte deva ser mais certa mesmo, e passa a fazer coro.

A mídia tradicional tem seus veículos unilaterais, o que impossibilita a propagação de opinião entre os consumidores. Assim eles têm a falsa impressão de que a mídia reflita a opinião da massa.

Não é verdade: devido ao caráter unilateral de seus veículos, a mídia manipula a opinião da massa, que tem muita dificuldade em trocar ideias sem o intermédio da mídia.

Assim temos um grupo de maria-vai-com-as-outras involuntários.

Já na blogosfera isso não tem como acontecer, já que o veículo – a Web – é de comunicação bilateral: qualquer um pode acompanhar os blogs que quiser diretamente ou via feeds, ter seu próprio blog para divulgar suas próprias opiniões, e/ou comentar os artigos em outros blogs, fornecendo ao blogueiro e seu público um feedback privilegiado.

Por esse caráter full duplex, só é maria-vai-com-as-outras quem realmente quer. A prova disso é vermos não raramente blogueiros aliados com opiniões conflitantes a discutir – o que é muito saudável!

E blogueiros maria-vai-com-as-outras?


É claro que há aqueles blogs que apenas servem para ecoar a opinião de outros, sem nada a acrescentar. Mas se você, leitor, prestar atenção verá que a grande maioria desses blogs consiste justamente naqueles que defendem as opiniões da mídia tradicional, Folha, O Globo, Veja, etc.

Não são blogueiros de verdade, antenados e com opiniões bem construídas; são profissionais pseudojornalistas pagos para adicionar um falso contrapeso à blogosfera.

No entanto são muitos, mas, por sorte, minoria.

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-06-07

Intervencionismo não, Sr. Murdoch!

Baal Ontem recebi um email desaforado da SKY reclamando que decisões do Poder Legislativo poderiam impedir que eles cometam práticas de massificação, emburrecimento e evangelização contra a nação brasileira e chamando isso de Intervencionismo.

Eu me sinto no mínimo ofendido ao ver que o Sr. Rupert Murdoch acha que nós brasileiros sejamos tão imbecis.

Sr. Murdoch, para seu governo, não somos um país de animais estúpidos.

Minha resposta – e sugiro que todos façam o mesmo – foi a seguinte:

1º) Sou a favor da obrigatoriedade do conteúdo nacional. A lei não exclui o conteúdo internacional.

2º) Intervencionismo se a lei dissesse o que pode e o que não pode ser passado, o que não é o caso. Apenas exige uma programação que valorize mais nossa nação em vez de fazer todos sentirem pena por não serem estadunidenses.

3º) São alterações positivas, apenas os empresários, que querem nos inundar de ideias antinacionalistas e americanistas, não concordam.

4º) As mensalidades só aumentarão se e porque os empresários corruptos veem nisso uma oportunidade para fazê-lo, não por necessidade. É um ato de corrupção e capitalismo desmedido.

5º) Não quero mais receber mensagens dessa mídia golpista contra as ações do Poder Legislativo ou do Poder Executivo. É um ato de covardia e abuso político de uso deste canal de comunicação (email prestadora → cliente). É meu direito de cliente não receber spams, o que considero esta mensagem, pior ainda: spam com fins de manipulação política.


A verdade é que Sr. Murdoch e seus cães de caça querem controlar o que VOCÊ pode ou não assistir, por isso acusam o Governo de controle quando na verdade está nos dando mais opções de melhor qualidade.

[]’s
Rodrigo Cacilhας, La Batalema

2010-05-28

Ordem natural das coisas

Heim? Nesta semana ouvi outra conversa interessante de banheiro… Um sujeito disse:

— O melhor é mais caro.

O outro responde:

— É a ordem natural das coisas.

Então eu me perguntei: é a ordem natural das coisas?

Na Natureza, melhor e mais caro não têm relação. Se um concorrente de um nicho é mais eficiente (melhor) que outro, sobrevive ao outro. Se um concorrente demanda menos esforço (é mais barato) que outro, sobrevive ao outro.

E um concorrente pode ser mais eficiente e demandar menos esforço que outro – claro, sobreviverá ao outro.

Se o Mercado fosse orgânico, o preço de produtos e serviços seria relativo a seu custo (sempre acrescido do lucro) de produção e/ou manutenção, independente de ser melhor ou pior. Assim, se for ainda melhor que os concorrentes, tende a superá-los e sobreviver a eles.

Veja que isso não tem nada a ver com monopólio, oligopólio, cartel, lobby ou subsídio, mas com sobrevivência dos mais aptos.

No entanto no Capitalismo não é assim: se um produto é melhor, o fabricante tende a aumentar seu preço e superfaturar. Isso prejudica o consumidor, que se vê obrigado a escolher entre produtos/serviços ruins e outros desnecessariamente caros.

O Capitalismo e o Mercado não seguem a ordem natural das coisas, mas a lei do lucro voraz, do abuso e do desrespeito.

Por isso os neoliberais são contra a participação do Estado no Mercado. Se o Mercado se autorregular, será a favor do apetite insaciável e inescrupuloso dos fabricantes, não a favor do consumidor ou da sobrevivência do mais apto.

Agora, se o Estado interfere no Mercado através da concorrência salutar e regulatória, as empresas são obrigadas a praticar preços justos, o que, além de baratear produtos e serviços, aumenta em muito sua qualidade, já que os inaptos não sobrevivem.

Isso está prestes a acontecer no mercado de telecomunicações! A Telebrás lançará – a princípio nas regiões Norte e Nordeste – banda larga a preço justo – não o mais barato possível, apenas justo –, o que significa 30% do valor praticado pelas empresas de telecomunicações atualmente.

[update 2010-06-08]
Vejam que eu não disse «30% menor que o valor», mas «30% do valor»!!!
[/update]


Que os empresários sem escrúpulos se cuidem, pois, se tudo correr bem, o povo terá cada vez mais sua vez!

[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-05-27

Silêncio, solidão

Paulo Nogueira Batista Jr. Paulo Nogueira Batista Jr. é diretor do FMI representando o Brasil e mais nove países, e era colunista da Folha.

Era… Segundo divulgado pelo Deputado Brizola Neto, a Folha se cansou do professor progressista e cassou-lhe a coluna.

O deputado fez então apelo aos blogueiros a oferecer espaço ao professor para divulgar suas ideias e ideais e faço aqui coro com ele reproduzindo o último artigo do Professor Paulo:

Silêncio, solidão

Paulo Nogueira Batista


HOJE, ESTOU com ímpetos, leitor, de escrever um artigo altamente patético. Veja só o título que escolhi.

Na semana passada, lá estava eu, na trincheira como sempre, na minha vida espartana em Washington, lutando contra as forças do status quo no FMI. Refiro-me sobretudo aos europeus -não todos, há exceções honrosas, mas à grande maioria.

Se permitirmos, essa maioria europeia não só bloqueará as reformas do FMI e de outras instituições como ainda patrocinará reformas regressivas, verdadeiras contrarreformas.

É uma guerra de posições, como a do front ocidental na Primeira Guerra Mundial. Os Exércitos sangravam horrores para avançar alguns quilômetros. O mais belo livro a esse respeito foi escrito por um oficial alemão, Ernst Jünger, e carrega o título forte «Tempestades de Aço».

Mas estou me perdendo do assunto. Aconteceu o seguinte: lá estava eu, na minha trincheira, sob bombardeio, quando veio o que se poderia descrever, com algum exagero (reconheço), como um «Dolchstoss im Rücken», uma «punhalada nas costas» (já que falei em Primeira Guerra).

Telefona-me Raul Juste Lores, que não tive o prazer de conhecer, mas que vem a ser o novo editor do caderno Dinheiro, para informar, de chofre, que a minha coluna deixará de ser publicada pela Folha. Nada de «o gato subiu no telhado» etc. Foi uma execução sumária. Parece que vem aí uma nova turma de colunistas, feroz, antenadíssima com as novas tendências, pronta para escrever sobre temas de vanguarda como tecnologia, linguagem digital, entre outros.

Este é o meu último artigo na coluna. Ora, na minha coluna, os personagens não têm os nomes que têm por mera coincidência ou acaso. Se o novo editor do Dinheiro se chama Juste, isso indica certamente uma inapelável tendência ao equilíbrio e à justiça. Ele me disse com todas as letras (sem intenção de ferir): «A sua coluna é das mais longevas».

Longeva! Senti-me imediatamente como uma múmia, pronta a ser encaminhada para o sarcófago mais próximo.

Fico agora reduzido ao silêncio nestas páginas. (Naturalmente, haverá quem considere que o silêncio veio tarde.) O meu isolamento, agravado pela residência no exterior, aumenta ainda mais. E, claro, as saudades do Brasil -a coluna era um meio de me manter em contato semanal com o país e o leitor brasileiro.

Agradeço à Folha pela liberdade que me deu para expressar meus pontos de vista durante cerca de 15 anos de colaboração regular. Também ao Jacques Constantino, ao Marcos Cézari e a outros que tanto me ajudaram a editar e corrigir os artigos, com grande paciência para as minhas revisões de última hora e para os artigos concluídos, às vezes, no apagar das luzes.

Não me esqueço, em especial, de um episódio. Nos anos 90, o Banco Central entrou com uma notificação judicial contra mim, alegando difamação e ofensas. Foi na época em que a instituição era presidida por certo Napoleão de hospício. A Folha colocou à minha disposição, sem que eu tivesse que gastar um tostão, um advogado especializado que me defendeu com muita competência. O Banco Central acabou desistindo do processo.

Por último, mas não menos importante, agradeço a atenção dos leitores que tantas vezes se manifestaram para apoiar, comentar ou discordar dos artigos. Aos que quiserem, posso informar, via e-mail, onde continuarei publicando artigos daqui para a frente.


[]’s
Cacilhας, La Batalema

2010-05-22

Mitos nacionais

Santos Dumont Vez por outra venho aqui reclamar da porcaria da Super(des)interessante. A edição deste mês traz dezenove (19) supostos mitos sobre a história do Brasil.

Lendo a matéria, a intensão parece ser boa, mas parte de um princípio no mínimo babaca: chocar em vez de informar.

Em meio a mitos de fato, há verdades tratadas como mitos e interpretações pessoais para desconstruir o valor histórico da nação brasileira. Vou citar apenas um falso mito, o mito 9.

O inventor brasileiro (Santos Dumont) foi um gênio. Mas os irmãos Wright voaram 3 anos antes dele e, em 1906, quando o 14 Bis decolou, já tinham um avião bem melhor. A grande aeronave do brasileiro é outra: o Demoiselle, de 1908, primeiro ultraleve da história.


O objetivo de tratar os irmãos Wright como pais da aviação é, além de bajular os estadunidenses, criar revolta para atrair atenção.

Problema número um: Santos Dumont ser brasileiro é um detalhe sem importância, já que sua vida aconteceu na França. Quem deve se orgulhar dele são os franceses.

Problema número dois: a patente dos irmãos Wright foi dada retroativamente pelo departamento de patentes para que os E.U.A. não ficassem atrás da França. Se eles voaram antes de Santos Dumont não é realmente sabido.

O FATO mais importante: é totalmente irrelevante quem voou primeiro! A tecnologia de aviões usada atualmente é a que foi a desenvolvida por Santos Dumont para o Demoiselle, fazendo dele o verdadeiro pai da aviação, queiram os americanos ou não. É importante ainda citar que a Argentina teve um posterior papel importantíssimo para a aviação mundial.

Santos Dumont liberou publicamente o acesso a sua tecnologia enquanto os irmãos Wright, querendo apenas lucrar, vendiam licenças de uso. Havendo uma tecnologia livre equivalmente, sua tecnologia foi arquivada e esquecida, o que prova a superioridade do princípio open source sobre a falácia do modelo proprietário.

A Super(des)interessante ainda erra dizendo:
Aqui ele (Santos Dumont) é o pai da aviação. E ponto final. No resto do mundo, engenheiros e historiadores consideram os irmãos americanos Orville e Wilbur Wrighte mais importantes para o pioneirismo das máquinas voadoras.


Então a Super precisa contar isso para os londrinos! =P


Segundo informações da National Geographic Society e da BBC de Londres, Santos Dumont é o pai da aviação, enquanto os irmãos Wright são não muito mais do que uma nota de rodapé, concorrentes que quase ameaçaram tomar o lugar de Dumont.

Apenas os estadunidenses e seus bajuladores consideram os irmãos Wright, não o resto do mundo.

[]’s
Cacilhας, La Batalema


PS: Impossível não reproduzir certa afirmação da página 78:
…a inexistência de provas não é uma prova de inexistência. A única coisa que a ciência pode fazer é afastar Deus de nosso dia-a-dia, explicando o Universo e as coisas de forma lógica e racional (…). Mas daí a dizer que Deus não existe, vai uma enorme distância. E, se Richard Dawkins não gostar, sempre pode tirar as calças e pisar em cima.